Como os programas de bem-estar influenciam o employer branding

Se está no mundo dos Recursos Humanos com certeza já ouviu falar do termo Employer Branding mais do que uma vez.

Embora seja um conceito que nasceu nos Estados Unidos na década de 1960 popularizando-se na década de 1980, em Portugal, até há relativamente pouco tempo, era um conceito que dizia respeito apenas às maiores empresas.

O Employer Branding não é mais do que a marca de uma empresa enquanto empregadora. Ou seja, a imagem que uma empresa tem não só junto dos seus clientes, mas também dos seus próprios colaboradores e, sobretudo, a imagem percebida pelos seus potenciais candidatos.

 

Por que o Employer Branding é importante?

Cada vez mais as empresas estão cientes de que cuidar do seu Employer Branding é tão importante como cuidar da sua marca global.

Além da imagem de marca passada aos clientes, é necessário trabalhar a sua marca como empregador e deve começar a tratar os seus colaboradores da mesma forma que trata os seus clientes.

Atualmente, os candidatos têm todas as informações de que precisam sobre as empresas na ponta dos dedos, e isto é especialmente crítico. Antes de se candidatarem a um cargo, pesquisam no Google e nas redes sociais informações sobre a empresa e consultam a opinião dos outros trabalhadores, ou seja, formam uma opinião prévia antes de se inscreverem nas vagas de uma empresa e é por isso que o Employer Branding é uma das tendências de recrutamento atualmente.

Continua lendo

Compartilhe

Compartilhe no Facebook
Compartilhe no Twitter
Compartilhe no Linkedin
Compartilhe no Whatsapp

VEJA TAMBÉM

A depressão pós épocas festividades, também conhecida como transtorno afetivo sazonal, é real. O que para muitos pode ter sido a melhor época do…